Top
O que é um DAO? Como as organizações autônomas descentralizadas funcionam?
O que é DAO_
Criptomoeda
07.09.2021
Updated 12.03.2022
14:39

As instituições comerciais e sem fins lucrativos tradicionais são concebidas para serem geridas por um pequeno grupo de gestores que tomam decisões-chave para o desenvolvimento da estrutura. Isso se aplica a empresas privadas e agências governamentais. No entanto, essa abordagem requer confiança de outros membros da organização e consumidores, e a centralização permite ocultar e falsificar dados.

A tecnologia Blockchain abriu caminho para a criação de sistemas e organizações fundamentalmente novos que são capazes de autonomia e eliminam a necessidade de interferir em seu trabalho. Esses sistemas não têm um órgão central de governo e o controle sobre seu trabalho está nas mãos da comunidade. Neste artigo, você aprenderá o que é um DAO, como as organizações autônomas descentralizadas funcionam e quais os benefícios que oferecem a empresas e instituições.

O que é DAO?

DAO (Decentralized Autonomous Organization) é uma organização autônoma descentralizada que é controlada por código de software e não requer um nó centralizado para executar o ecossistema. O DAO funciona independentemente dos usuários, ou seja, de forma autônoma.

O pré-requisito para a criação do DAO foi a plataforma blockchain Ethereum, lançada em 2014. A rede Ethereum é baseada em contratos inteligentes, programas que permitem que você faça transações seguras sem a participação de intermediários. A plataforma era turing-completa, permitindo a criação de aplicativos autônomos descentralizados (DApps), como trocas (DEX) e DAO.

A primeira plataforma baseada nos princípios de uma organização autônoma descentralizada foi lançada em 2016 e foi chamada de DAO. Embora um mecanismo semelhante tenha sido implementado em 2015 no protocolo Dash, que usa o sistema masternode e fornece a capacidade de voto. O objetivo do DAO era criar um modelo de negócios descentralizado para organizações comerciais e sem fins lucrativos. O projeto se tornou uma das campanhas de crowdfunding de maior sucesso, arrecadando US $ 150 milhões na ICO.

Quase imediatamente após o lançamento, os hackers invadiram a plataforma DAO e retiraram cerca de US $ 50 milhões em criptomoedas ETH. Este incidente acabou por ser fatal para a plataforma e em setembro de 2016 foi encerrada, excluindo-a da lista de sites.

Após o incidente com o DAO, os desenvolvedores do Ethereum criaram um hardfork para recuperar os fundos perdidos no contrato original. O blockchain original continuou a existir sob o nome de Ethereum Classic.

Como o DAO funciona?

Todas as alterações para melhorar o funcionamento da organização autônoma descentralizada são feitas pelos desenvolvedores no código-fonte, mas a comunidade decide qual alteração deve ser aprovada ou rejeitada: qualquer pessoa que possua os tokens de plataforma pode usá-los para votar pela atualização.

Se a maioria votou a favor da proposta, a comunidade chega a um consenso e a melhoria é aceita. Essa abordagem é consistente com os princípios de descentralização. Votar é estimulante, pois os hodlers são recompensados ​​por participar. As alterações aceitas e os registros de transações são registrados no blockchain e armazenados lá, tornando o modelo de negócios DAO transparente para a comunidade.

A estrutura do DAO pode ser comparada à do governo, mas em vez de membros do parlamento, um programa autônomo atua como gestor, e todas as informações são inseridas no blockchain e estão abertas ao público. As demais estruturas são semelhantes: os usuários votam nas mudanças e decidem em que direção a plataforma se desenvolverá.

Outra diferença importante é a falta de hierarquia no DAO. Todos os membros da rede têm direitos iguais. Em outras palavras, uma organização autônoma descentralizada tem uma arquitetura de camada única, enquanto as organizações tradicionais têm uma arquitetura de várias camadas. O DAO é baseado em mecanismos econômicos que visam incentivar seus participantes e, para sua implementação, os desenvolvedores utilizam a teoria dos jogos.

Como o DAO resolve o dilema do agente principal?

O dilema do agente principal é um dos problemas econômicos comuns que as empresas e instituições tradicionais não podem resolver. A sua essência é que uma pessoa física ou jurídica que seja um mandatário pode tomar uma decisão por um terceiro atuando como mandante, sem o consentimento e notificação dessa parte. Isso abre a oportunidade de ignorar os interesses do principal.

Isso abre espaço para ações arriscadas por parte do principal e cria assimetrias de informação entre as partes. Isso significa que o principal não sabe se o agente está agindo no interesse pessoal ou público.

O DAO resolve parcialmente esse problema por meio da transparência, uma vez que todas as informações são armazenadas no blockchain e não podem ser alteradas ou adulteradas, fornecendo a capacidade de eliminar assimetrias de informações.

Сaracterísticas de DAO

  1. Descentralização. A descentralização fornece direitos iguais para os participantes, portanto, nenhum nó central pode tomar decisões sem primeiro obter a aprovação da comunidade. A plataforma é gerenciada pela comunidade e as regras do blockchain precisam ser definidas para orientar os usuários em direção ao resultado mais eficaz na rede do blockchain.
  2. Transparência. As plataformas DAO contêm código-fonte aberto, o que permite auditoria externa do blockchain, assim como qualquer desenvolvedor pode participar de melhorias na rede.
  3. Autonomia. O programa garante integralmente o funcionamento do ecossistema, excluindo o controle manual sobre o seu trabalho. Isso elimina a necessidade de depender de intermediários que podem influenciar o curso da transação.
  4. Velocidade de obtenção de consenso. Todas as transações são registradas no blockchain, portanto, não há necessidade de as contrapartes manterem documentação e passarem por uma complexa cadeia de procedimentos burocráticos. Isso permitirá que empresas e instituições reduzam custos financeiros, simplifiquem e agilizem os processos de negócios.
  5. O DAO permite que pessoas físicas e jurídicas interajam abertamente entre si, sem a necessidade da confiança das partes. Desta forma, as partes podem facilmente atingir objetivos comuns sem se preocupar que a outra parte possa tentar violar os termos ou regras da transação.

Exemplos de DAO

O protocolo Bitcoin pode, na verdade, ser considerado a primeira implementação do DAO, embora sua operação seja mais primitiva. Bitcoin satisfaz os princípios básicos de uma organização autônoma descentralizada: descentralização e autonomia. Os membros da rede são incentivados com prêmios para garantir a segurança da rede e construir consenso entre os nós. Mas o sistema Bitcoin tem funcionalidade limitada, permitindo apenas armazenar e transferir a criptomoeda BTC. Além disso, o Bitcoin não tem interoperabilidade (capacidade de interagir com outras blockchains ou, em outras palavras, compatibilidade entre chains).

Plataformas criadas diretamente como DAOs estendem a funcionalidade de blockchains, fornecendo a capacidade de realizar muitas operações diferentes: troca de criptomoedas e tokens sem intermediários centralizados, transferência de direitos de propriedade intelectual, rastreamento de cadeias de suprimentos, criação de empreendimentos descentralizados e fundos de hedge, criação de redes sociais que estimulariam autores de conteúdo e muito mais.

Por exemplo, o DAO pode coordenar e otimizar a cadeia de suprimentos, desde a fabricação até as vendas e a operação de dispositivos IoT. No futuro, usando os princípios de uma organização autônoma descentralizada, será possível gerenciar cidades inteligentes (smart city).

Evolução dos contratos inteligentes. O problema dos contratos inteligentes é a natureza fechada do ecossistema, então eles não podem trocar dados com fontes externas via Internet. Esse problema foi resolvido com a ajuda de oráculos de blockchain, que recebem dados do mundo exterior e os transmitem à blockchain, que permite a criação de trocas autônomas de criptomoedas, mercados de previsão e plataformas de betting.

Lista das plataformas DAO mais populares

Onde encontrar plataformas DAO

Uma lista completa de blockchains baseados em DAO pode ser encontrada na seção correspondente do Coinmarketcap.

Problemas atuais do DAO

Apesar das vantagens óbvias, as organizações autônomas descentralizadas ainda não encontraram popularidade entre as empresas privadas e agências governamentais. Isso decorre de uma série de questões que precisam ser abordadas antes que o DAO chegue à mass adoption.

Problemas de regulamentação

O DAO tem um status regulatório incerto. Atualmente, os governos não desenvolveram regras legais específicas para regular as organizações autônomas descentralizadas.

Economia

Em alguns casos, votar pode ser problemático para a comunidade, o que dá aos grandes jogadores o direito de influenciar a operação do protocolo. Por exemplo, os hodlers de BitShares enfrentaram esse problema quando descobriram que não tinham tempo e energia suficientes para votar . Os usuários do Ethereum poderiam enfrentar isso quando o custo das transações (taxas de gás) atingisse dezenas de dólares devido à alta carga da rede.

Eficiência

O princípio de governança descentralizada no qual a abordagem DAO se baseia nem sempre é eficaz. Em alguns casos, a autonomia total pode não trazer nenhum benefício ou ser totalmente inútil.

Os sistemas centralizados podem ser mais eficientes, mas ao mesmo tempo seus usuários sacrificam seus direitos, porque eles não podem interferir no gerenciamento e precisam ter a confiança da administração. Além disso, as regras iniciais estabelecidas no protocolo servem como ponto de centralização de todo o ecossistema.

Vulnerabilidade

Por trás da segurança percebida das plataformas descentralizadas, existem muitas vulnerabilidades às quais as empresas tradicionais não estão expostas. Os sistemas autônomos são totalmente controlados por códigos de software que podem ser hackeados, o que aconteceu com a infame plataforma The DAO, da qual os cibercriminosos roubaram um terço dos fundos em circulação.

Conclusão

Organizações autônomas descentralizadas permitem a criação de estruturas públicas ou privadas democráticas que serão abertamente governadas pela comunidade e interagirão com segurança umas com as outras.

A autonomia pode ajudar a reduzir custos operacionais, simplificar e acelerar a maioria dos processos, tornando as organizações mais eficientes. Um dos principais desafios, além da segurança cibernética, é o desenvolvimento de regras de consenso eficazes em protocolos descentralizados dos quais depende seu funcionamento.