Top
Taxa cobrada para transações de criptomoeda no blockchain: o que é e como funciona
O que é taxa no blockchain_
Criptomoeda
15.09.2021
Updated 12.03.2022
7:37

A taxa é um elemento do funcionamento da maioria das redes de blockchain mais populares. Visa desempenhar bem duas tarefas principais:

  1. Ser uma recompensa para os mineiros que mantenham o blockchain funcionando.
  2. Ser um dos elementos de proteção da rede contra ataques de «spam» de malfeitores.

Dependendo de quão ativa e carregada a rede está a taxa cobrada pode ser tanto pequena como média ou mesmo grande. O seu tamanho pode ser influenciado tanto pela configuração do usuário quanto pelas condições de mercado atuais. Mas os seguintes pontos são sempre verdadeiros:

Para que uma taxa está sendo introduzida no blockchain: por que é necessária?

As taxas fazem parte da maioria das redes de blockchain desde seu aparecimento – no início da última década. No entanto, todos os que invistam em criptomoedas ou as usem para resolver problemas secundários as enfrentam. Mas, na maioria das vezes, são pagas precisamente ao enviar dinheiro digital, reabastecer carteiras digitais ou retirar moeda fiduciária de criptomoedas.

A proteção contra “spam” em forma da taxa é uma ótima solução. Sem esse elemento, as ações dos malfeitores seriam limitadas apenas por seu número e pelo poder do hardware de seu computador. Mas, graças às taxas cobradas, ataques de “spam” poderosos e bem coordenados enfrentam o principal problema de implementação – o alto custo de tais ações hostis ao blockchain.

Encorajar os mineiros é outro mecanismo útil. Ninguém iria ajudar e doar seu poder para o blockchain apenas por altruísmo. Se tais pessoas fossem encontradas, o seu número não permitiria a realização de um alto nível de descentralização da rede. Como resultado, todos aqueles que verifiquem e confirmem transações do mesmo Bitcoin ou Ether recebem uma porcentagem paga por aqueles que fazem as transferências.

A maioria dos blockchains é configurada de forma que a taxa de transação não seja muito grande para um usuário comum que faz várias transferências por dia. Mas o seu tamanho depende muito de quão ocupada a rede está. Se você quiser acelerar a transferência quando houver muito tráfego dentro do blockchain (outros usuários estão fazendo transações de forma ativa e dinâmica), você terá que definir manualmente uma grande comissão. E quanto mais você pagar, a prioridade de processamento da sua própria transação será mais alta.

Taxas de transferência de Bitcoin

Devido ao fato de que a moeda de Satoshi Nakamoto ter sido o primeiro ativo blockchain do mundo, conseguiu criar um certo padrão para o tamanho da taxa. Muitos projetos focam nele, enquanto outros estão francamente copiando indicadores. O criador da criptomoeda original (outras moedas são geralmente chamadas de altcoins) foi o primeiro a perceber o quão eficaz a comissão pode ser na luta contra malfeitores externos, bem como no estímulo ao suporte para a rede.

Os mineiros envolvidos na mineração de bitcoins recebem a sua recompensa por confirmar transações e inserir dados em novos blocos. Cada transferência ainda não confirmada está sempre no denominado “pool de memória”. Daí, da maior para a menor comissão paga, são feitas as transferências dos usuários. Quem concorda pagar mais sempre pode contar com uma verificação rápida e dinheiro creditado através de transação.

Graças a esse truque, cada malfeitor que tentar desacelerar o blockchain ou congelá-lo terá que pagar uma grande quantia em taxas cobradas. Mas não há muito sentido nisso, e dificilmente alguém terá dinheiro suficiente para uma desaceleração completa (pelo menos para vários dias) do blockchain. Tal filtro de “spam” como taxa cobrada para operações de blockchain tem funcionado adequadamente por vários anos.

Um exemplo de cálculo da taxa cobrada para a transferência de Bitcoin

Muitas carteiras digitais em Bitcoin têm uma função de definir manualmente as taxas de transferência. Também é possível definir o parâmetro como zero, mas tal transferência será ignorada pelos mineiros devido à sua falta de lucratividade.

Apesar dos mitos populares, a taxa cobrada pela transferência do “ouro digital” não depende da quantidade, mas do tamanho dos arquivos de transação em bytes. Se a sua transferência pesar 500 bytes com uma taxa média por unidade de byte situar-se em 80 Satoshi, então, para a velocidade normal de processamento da transação, você terá que pagar 40.000 Satoshi – 0,00040 BTC. Se você adicionar mais uma pequena quantidade de criptomoeda, o processamento da operação será acelerado.

Se a carga na rede aumentar, remetentes de todo o mundo tentariam fazer a sua transferência uma prioridade para os mineiros – caso contrário, a espera demorará muito. Com base nisto, a taxa cobrada também cresce. E em uma situação onde a atividade de transações diminui, a taxa também diminui gradualmente.

Não é recomendado fazer grandes transferências em momentos em quais existe a volatilidade do mercado (mudanças rápidas na taxa de criptomoeda em período curto). Nesses momentos, muitos fiquem preocupados e passem a vender / comprar bitcoins. Isso aumenta gravemente o número de transferências processadas, com o preço médio da taxa cobrada para transferência.

É importante entender que cada bloco mineiro é um objeto de 1 MB. E a própria velocidade de toda a rede de mineradores é um valor que também apresenta limitações. Este déficit cria um mecanismo que provoca adicionar aos blocos aquelas transferências das quais você pode lucrar tanto quanto possível.

Frequentemente, o tamanho da taxa cobrada é influenciado pela escalabilidade da rede – um indicador da velocidade das operações realizadas em um minuto. Muitos desenvolvedores de blockchain estão tentando melhorar este indicador para que as transferências sejam extremamente baratas. Nesse sentido, o Bitcoin é muito lento, com no máximo algumas (até 10) transações por segundo. Ao mesmo tempo, novos blockchains oferecem velocidades de até várias centenas de operações por segundo, o que torna as transferências baseadas neles muito mais baratas.

Taxas na rede de Ethereum

As taxas cobradas na rede de criptomoedas Ethereum são algo fundamentalmente diferente do que o Bitcoin oferece. O valor das deduções para transferências ETN depende de quanto poder de computação (gás) foi usado no processo de processamento da transação. Este indicador tem o seu próprio valor e é facilmente convertido para Ethereum.

Muitas vezes duas transações com a mesma complexidade têm o mesmo valor de gás. Mas descobre-se que o tráfego de rede na rede blockchain era maior, devido ao qual o preço da taxa aumentou. Como resultado, o custo real de uma das transferências também aumenta.

Pagar o maior gás é uma garantia de que os mineiros prestarão atenção à sua transferência e a processarão com prioridade.

Como calcular as taxas de transferência Ethereum

O preço final da taxa na rede Ethereum consiste em seu custo real, bem como um pagamento de incentivo adicional para processamento mais rápido da transação.

Exemplo: se a transferência custe 24.000 gás e o preço de gás é 75 Gwei, então, multiplicando esses valores, obtemos uma taxa de 1.800.000 Gwei ou 0,00180000 ETH.

Agora existem planos para uma transição suave do Ethereum para o algoritmo Proof-of-Stake. Como resultado, o preço do gás diminuirá até cair para valores extremamente baixos, tornando essa criptomoeda mais atraente para o uso diário.

Conclusões gerais

A taxa cobrada para transferência de criptomoeda é uma parte indispensável do funcionamento do blockchain e da criação de uma economia digital estável. Sem esta taxa, é impossível implementar uma rede segura que incentive a manutenção de sua estabilidade, ao invés de sua destruição.

No entanto, a popularidade crescente de muitos projetos de blockchain legados significa que a escalabilidade limitada e um aumento no número de transferências provoquem um aumento significativo na taxa. E esse momento negativo é difícil de resolver sem sacrificar a essência descentralizada do blockchain de muitas moedas.

Por outro lado, existem projetos que oferecem grande largura de banda e baixas taxas. Mas, por causa disso, eles têm que sacrificar a segurança e a descentralização da rede.

Como resultado, os usuários têm que escolher – transferências baratas e rápidas ou um análogo lento com um alto nível de segurança. Mas esperamos que os desenvolvedores trabalhem efetivamente no aprimoramento de blockchains e, em breve, não teremos mais que escolher o que sacrificar.